Translate this Page

Rating: 3.6/5 (4926 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...



  

 

 

Creme dental Glister


 

VISITE NOSSO SITE:

Pixabay imagens gratuitas



TECIDO MUSCULAR
TECIDO MUSCULAR

Tecidos musculares

Os tecidos musculares são de origem mesodérmica e relacionam-se com a locomoção e outros movimentos do corpo, como a contração dos órgãos do tubo digestório, do coração e das artérias.

tecido muscular

As células dos tecidos musculares são alongadas e recebem o nome de fibras musculares ou miócitos. Em seu citoplasma, são ricas em dois tipos de filamento protéico: os de actina e os de miosina, responsáveis pela grande capacidade de contração e distensão dessas células.

Quando um músculo é estimulado a se contrair, os filamentos de actina deslizam entre os filamentos de miosina. A célula diminui em tamanho, caracterizando a contração.

 

Entorse de Tornozelo

Por: Dr. Roberson Matunaga - Especialista em Cirurgia do Pé e Tornozelo da Artro Clínica de Ortopedia.

A entorse de tornozelo é uma lesão comum na prática esportiva, principalmente no futebol. É responsável por cerca de 10 a 15% de todas as lesões desportivas, sendo a faixa etária mais acometida é entre 15 e 35 anos de idade. O mecanismo de torção mais frequente é a inversão do pé associada a flexão plantar do tornozelo, com lesão frequente dos ligamentos do complexo lateral, um dos principais responsáveis pela estabilidade desta articulação. Dependendo da energia envolvida na torção do tornozelo, pode ocasionar inchaço, rouxidão, lesões ligamentares, edema ósseo (ocasionado pelo impacto entre as estruturas ósseas), lesões de cartilagem e fraturas.
Estas torções podem ser classificada em 3 níveis, dependendo do grau de acometimento ligamentar. A entorse de tornozelo grau 1 caracteriza-se apenas por estiramento ligamentar, enquanto a de grau 2 já envolve uma lesão parcial das fibras do ligamento e, no grau 3, uma ruptura total do mesmo. Em todos os casos é recomendado ao paciente procurar atendimento médico para realizar um tratamento adequado, afim de evitar complicações futuras, como uma instabilidade crônica (entorses de repetição).
O tratamento inicial em qualquer torção durante a atividade física é a proteção articular, repouso, aplicação de gelo e estabilização da articulação envolvida. Também recomenda-se  o uso de compressas geladas por tempo médio de 20 minutos, logo apos o trauma, o que evita inchaço, hematomas e diminui o processo inflamatório. O atendimento por médico ortopedista é importante, para que se conheça a gravidade da entorse e  um tratamento adequado possa ser instituído. Medicamentos analgésicos e antiinflamatorios auxiliam na recuperação. As imobilizações que incluem enfaixamentos, talas gessadas, botas ortopédicas ou até as órteses mais modernas (air cast) são importantes para a cicatrização correta das lesões. Os exames de imagem também são importantes, desde a radiografia inicial para excluir possíveis fraturas, até a ressonância magnética para especificar melhor quais estruturas foram lesionadas. 
Lembre-se que o adequado tratamento de um primeiro episódio de entorse é muito importante, pois evita possíveis instabilidades crônicas posteriores e/ou lesões que necessitem até de um tratamento cirúrgico no futuro.

Postado por Artro Clínica de Ortopedia às 15:15

http://clinicaartro.blogspot.com.br/2014/02/entorse-de-tornozelo.html

Tipos de tecido muscular

Há três tipos de tecido muscular: estriado esquelético, estriado cardíaco e liso. Cada um deles tem características próprias, adequadas ao papel que desempenham no organismo.

esquelético

Tecido muscular estriado esquelético

músculos da mão

O tecido muscular estriado esquelético constitui a maior parte da musculatura do corpo dos vertebrados, formando o que se chama popularmente de carne. Essa musculatura recobre totalmente o esqueleto e está presa aos ossos, daí ser chamada de esquelética. Esse tipo de tecido apresenta contração voluntária (que depende da vontade do indivíduo).

Um músculo esquelético é um pacote de longas fibras. Cada uma delas é uma célula dotada de muitos núcleos, chamado miócitos multinucleados. Um fibra muscular pode medir vários centímetros de comprimento, por 50 mm de espessura.

estriado

A célula muscular estriada apresenta, no seu citoplasma, pacotes de finíssimas fibras contráteis, as miofibrilas, dispostas longitudinalmente. Cada miofibrila corresponde a um conjunto de dois tipos principais de proteínas: as miosina, espessas, e as actinas, finas. Esses proteínas estão organizados de tal modo que originam bandas transversais, claras e escuras, características das células musculares estriadas, tanto as esqueléticas como as cardíacas.

fibras

Os filamentos de miosina formam bandas escuras, chamadas anisotrópicas (banda A), e os de actina, bandas claras, chamadas isotrópicas (banda I).

No centro de cada banda I aparece uma linha mais escura, chamada linha Z. O intervalo entre duas linhas Z consecutivas constitui um miômetro ou sarcômero e correspondem à unidade contrátil da célula muscular.

No centro de cada banda A existe uma faixa mais clara, chamada banda H, bem visível nas células musculares relaxadas e que vai desaparecendo à medida que a contração muscular ocorre.

organização

 

Na contração muscular, os miofilamentos não diminuem de tamanho, mas os sarcômeros ficam mais curtos e toda a célula muscular se contrai.

 O encurtamento dos sarcômeros ocorre em função do deslizamento dos miofilamentos finos sobre os grosso, havendo maior sobreposição entre eles: a banda I diminui de tamanho, pois os filamentos de actina deslizam sobre os de miosina, penetram na banda A e reduzem a largura da banda H.

A membrana plasmática da célula muscular estriada esquelética costuma ser chamada sarcolema (do grego, sarcos, carne).

sarcômero

Exercícios e o aumento da musculatura esquelética

Sabemos que exercícios físicos promovem o aumento da musculatura esquelética.

Mas o que aumenta: o número de células no músculo ou o volume das células já existentes?

A atividade física estimula as células musculares esqueléticas já existentes a produzirem novas miofibrilas, o que ocasiona aumento do volume da célula e conseqüentemente do músculo.

exercícios

No indivíduo adulto, as células da musculatura esquelética não se dividem mais. No entanto, existem células especiais, chamadas satélites, que são mononucleadas e pequenas e se localizam no conjuntivo que envolve os miócitos. Em situações muito especiais, quando o músculo é submetido a exercícios intensos, essas células podem se multiplicar e algumas delas se fundir com as fibras musculares já existentes, contribuindo também para o aumento do músculo.

As células satélites são importantes nos processos de regeneração da musculatura esquelética quando ocorrem lesões.

Tecido muscular estriado cardíaco

Apresenta miócitos estriados com um ou dois núcleos centrais. Esse tecido ocorre apenas no coração e apresenta contração independente da vontade do indivíduo (contração involuntária). No músculo cardíaco essa contração é vigorosa e rítmica.

parede cardíaca

Essas células musculares são menores e ramificadas, intimamente unidas entre si por estruturas especializadas e típicas da musculatura cardíaca: os discos intercalares, que fazem a conexão elétrica entre todas as células do coração. Assim, se uma célula receber um estímulo suficientemente forte, ele é transmitido a todas as outras células e o coração como um todo se contrai. Essa transmissão do estímulo é feita por canais de passagem de água e íons entre as células, que facilita a difusão do sinal iônico entre uma célula e outra, determinando a onda rítmica de contração das células. Os discos intercalares possuem estruturas de adesão entre células que as mantêm unidas mesmo durante o vigoroso processo de contração da musculatura cardíaca.

TRANSPLANTE CARDÍACO COMPLETO

https://www.facebook.com/photo.php?v=462955357138697

Reproduzir vídeo

 

músculo cardíaco

As células musculares cardíacas são capazes de auto-estimulação, não dependendo de um estímulo nervoso para iniciar a contração. As contrações rítmicas do coração são geradas e conduzidas por uma rede de células musculares cardíacas modificadas que se localizam logo abaixo do endocárdio, tecido que reveste internamente o coração.

Existem numerosas terminações nervosas no coração, mas o sistema nervoso atua apenas regulando o ritmo cardíaco às necessidades do organismo.

Tecido muscular liso ou não-estriado

As células musculares lisas não apresentam estriação transversal, característica das células musculares esqueléticas e cardíacas. A razão disso é que os filamentos de actina e miosina não se encontram alinhados ao longo do comprimento da célula. Acredita-se que eles estejam arranjados em espiral dentro da fibra muscular lisa.

músculo liso

Os miócitos se apresentam uninucleados e fusiformes, isto é, alongadas e coam as extremidades afiladas. Nessas células a contração é involuntária e lenta. Você pode decidir quando lavar as suas mãos, mas não controla conscientemente os movimentos de seu estômago ou a contração de seu coração. Ocorre nas artérias, sendo responsável por sua contração; ocorre também no esôfago, no estômago e nos intestinos, sendo responsável pelo peristaltismo (ou peristalse) nesses órgãos. Os movimentos peristálticos são contrações em ondas que deslocam o material alimentar dentro desses órgãos do sistema digestório.

célula lisa relaxada

Fonte:http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Histologia/epitelio25.php

 

 

 

 

topo