Translate this Page

Rating: 3.6/5 (4503 votos)




ONLINE
3




Partilhe este Site...



 
 
 
Creme dental Glister
 
 
 
 
Pixabay imagens gratuitas
 

VISITE NOSSO SITE:

 


DICAS DE ELETRICIDADE, ALVENARIA, PINTURA, ...
DICAS DE ELETRICIDADE, ALVENARIA, PINTURA, ...

É comum, em nosso dia a dia, nos depararmos com situações emergenciais que acabam nos custando uma fortuna. É claro que, em muitos casos, é melhor chamar um técnico que nos aventurarmos a fazer essas coisas. Mesmo assim, muita gente que se auto denomina técnico, na verdade, não passa de um curioso, que viu alguém fazendo algo, fez também, deu certo e continuou fazendo, embora nem mesmo saiba a razão daquilo.

Recomendamos a visita a este site, que tem muitas dicas e informações para seu dia a dia:

http://www.fazfacil.com.br/reforma-construcao/calculo-instalacao-eletrica/

Esta seção vai procurar ajudar na resolução de alguns desses problemas, sempre buscando as fontes técnicas adequadas. Mesmo que você pague para alguém realizar algum serviço, é bom que conheça como se faz. Para não pagar "gato por lebre".

Contrate sempre profissionais

 1) Instalações elétricas => Muita "gente boa", querendo "economizar", usa bitolas de fios menores para determinadas aplicações. Mas lembre-se: economizar na bitola do fio, aumenta o consumo de eletricidade e aí, você paga a conta de luz muito mais alta.

Para instalações de lâmpadas, o fio adequado é o de 1,5 mm. Não adianta nada você utilizar fio mais grosso; neste caso, não vai economizar absolutamente nada! O que não pode é utilizar o fio de 1,5 mm para tomadas. Aí, você vai economizar na bitola (tamanho) do fio, mas vai gastar muito mais eletricidade.

Como funciona? É simples e fácil de entender:

As lâmpadas consomem muito menos energia e por esse motivo geram menos calor. O calor aumenta a amperagem, que é o que faz aumentar seu consumo de energia. Assim, o fio de 1,5 mm é adequado para lâmpadas e está dentro das normas legais.

Se você colocar as mãos em um fio, por exemplo, o do ferro elétrico, e o mesmo estiver muito quente, significa que alguma coisa está errada, pois fio aquecido significa aumento do consumo na amperagem e consequentemente, maior gasto com energia.

Se a tomada onde o fio estiver ligado for instalada com fio de 1,5 mm, significa que o fio do ferro elétrico vai aquecer muito, o que pode provocar a redução da vida útil do ferro, danificar a tomada do mesmo, a tomada onde ele está ligado e até mesmo risco de incêndio em sua residência.

Portanto, a tomada deve estar alimentada com fio de 2,5 mm, que é o padrão recomendado para tomadas, mas, em casos como ferro elétrico, microondas, máquinas de lavar roupas, esteiras de ginástica, etc, o mais correto é a tomada estar alimentada com fio de 4,0 mm, pois estes aparelhos são mais potentes.

Lembrete importantíssimo: Em caso de incêndio em sua residência, se o motivo for instalação residencial mal feita e fora das normas ABNT, O SEGURO NÃO PAGA OS PREJUÍZOS, mesmo que o seu corretor diga o contrário!

Exija sempre a planta do projeto elétrico, assinada por um engenheiro qualificado, pois se ele fizer um projeto e uma execução inadequada, você terá contra quem lutar para ser ressarcido por possíveis danos. E só aceite mão de obra qualificada e reconhecida por organismos oficiais. A economia com "picaretas" pode lhe custar muito caro!

2) Chuveiro elétrico  =>  Existem chuveiros para 127 volts e chuveiros para 220 volts.

Os chuveiros de 127 volts são ainda a maioria no Brasil, pois as casas normalmente são abastecidas com voltagem monofásica, ou seja, um dos fios tem corrente ativa e o outro, corrente neutra.

Jamais permita que alguém instale chuveiro de 127 volts com fio menor que 10 mm!  Fio com 6 mm e até mesmo 4 mm são proibidos para chuveiros de 127 volts. Se acontecer um incêndio causado por isso, não se esqueça que o seguro NÃO PAGA!

Os chuveiros com 220 volts devem ser ligados com fio de até 6 mm, embora algumas pessoas afirmem que 4 mm também pode. Mas a ABNT exige 6 mm, portanto, use 6 mm.

Choque por falta de aterramento

Mais uma informação importantíssima:

Tomadas e chuveiros devem ter aterramento.

O aterramento consiste numa haste de metal, enterrada no chão e com um pino (borne) de fixação na parte que não é enterrada. Ali um fio de 4 mm deve ser fixado e fortemente apertado e então levado para o interior da residência. Todos os fios terra, tanto do chuveiro, como de todas as tomadas, devem ter uma ligação deste fio terra.

Em caso de fuga de energia (que causa o famoso choque elétrico), os elétrons que provocariam o choque são desviados para o fio terra, evitando gravíssimos acidentes com humanos, principalmente na  hora do banho.

Tem picaretas se passando por eletricistas, que ligam o fio terra no fio neutro da rede. Isto pode matar! Embora o fio neutro, teoricamente, não conduza corrente, na prática, isto não é verdade, pois já foi comprovado que pode haver corrente no fio neutro e esta corrente, embora menor, se estiver conectada ao fio terra, pode provocar choque mortal, principalmente na hora do banho, quando a pessoa está molhada e com os pés diretamente no piso do box.

Tomada padrão com aterramento

Um grave erro que também vem causando acidentes fatais ao redor do planeta é o uso de adaptadores, conhecidos como benjamins.

Se não tiver tomadas suficientes, providencie a colocação de mais tomadas, mas não use benjamins, pois eles não são projetados para suportar uma grande carga de energia.

Recomendamos a visita a este site, que tem muitas dicas e informações para seu dia a dia:

http://www.fazfacil.com.br/reforma-construcao/calculo-instalacao-eletrica/

 

Benjamins são um risco permanente.

O que acontece é que a tomada onde estão plugados estes benjamins, que provavelmente interligam pisca piscas de árvore de natal, vai ter uma quantidade de energia tão grande passando por ela, que a amperagem aumenta até chegar ao ponto de incandescência e pegar fogo, pois os fios dos benjamins são bem mais finos que o da tomada. Portanto, evite-os, para sua segurança.

 

 


 Lâmpadas incandescentes - também chamadas de lâmpadas elétricas são dispositivos elétricos que transformam a energia elétrica em energia luminosa e térmica (calor).

lâmpada

Apesar do requinte exclusivo, que proporciona uma luminosidade muito mais aconchegante ao ambiente, e de ter maior durabilidade em ambientes que necessitem de ter as luzes acesas e apagadas a todo o instante, o rendimento da lâmpada incandescente é mínimo: apenas o equivalente a 5% da energia elétrica consumida é transformada em luz, sendo os outros 95% transformados em calor!

 

 

 

lâmpada

Por causa deste desperdício, a União Européia decidiu abolir as lâmpadas incandescentes a partir de 2012.
Elas poderão ser abolidas no Brasil a partir de 2016, caso a indústria consiga oferecer algum tipo de lâmpada que proporcione luminosidade com as mesmas características das tradicionais.

No Brasil, elas devem ser abolidas até 2016, desde que surjam outras condições que permitam às lâmpadas econômicas terem o mesmo desempenho das incandescentes.

Segundo a portaria, ficam de fora as lâmpadas com potência igual ou inferior a 40 w, incandescentes específicas para estufas – de secagem e de pintura - equipamentos hospitalares e outros, e incandescentes refletoras / defletoras e alguns outros tipos específicos.

AS LÂMPADAS ECONÔMICAS NÃO SÃO PERFEITAS.
OS MAIORES INCONVENIENTES DAS FLUORESCENTES COMPACTAS SÃO: O USO DE MERCÚRIO E A EXIGÊNCIA DE UM APARATO AINDA INEXISTENTE PARA RECICLAGEM DE SUAS PARTES ELETRÔNICAS

lâmpada

 O mercúrio ainda tem a companhia do chumbo na composição das lâmpadas econômicas. O contato com a substância em níveis mais altos pode gerar sérios problemas de saúde (tosse, dispnéia, dores no peito e problemas neurológicos).

No meio ambiente, quando o mercúrio é despejado de maneira irregular em rios, por exemplo, ele volatiza (se torna em gás) e passa para a atmosfera, causando prováveis chuvas contaminadas.
Animais aquáticos e plantas podem reter o mercúrio e assim contaminar o meio ambiente, sem que exista chance de descontaminação.

 Portanto, é fundamental não jogar lâmpadas eletrônicas no lixo comum, pois deste modo, estamos contribuindo para degradar ainda mais o meio ambiente, piorando   nossa própria qualidade de vida.

 

 

 

A LÂMPADA QUEBROU?
Se uma lâmpada econômica se quebrar, a primeira coisa a fazer é retirar crianças, idosos e animais domésticos da área.

 Ventilar imediatamente o ambiente, abrindo todas as portas e janelas.

 lâmpada

Para retirar os cacos, use luvas e proteja bem o nariz.

lâmpada

 Para limpar os pequenos pedaços que foram pulverizados, use fita adesiva e papel toalha levemente umedecido.

 Descarte a luva junto com todo o material da lâmpada quebrada.

 Caso a lâmpada econômica tenha quebrado em cima de uma toalha, de um lençol ou qualquer outro tipo de tecido, o mesmo tem de ser descartado juntamente com ela.

 Em caso de corte com algum dos cacos da lâmpada quebrada, é aconselhável buscar socorro médico. Lembre-se: O mercúrio e o chumbo são altamente contaminantes.

 

 

 

lâmpada

 Nunca jogue lâmpadas econômicas diretamente no lixo comum, seja em residência, seja no local de trabalho.

 O descarte deverá ser sempre em local apropriado.

lâmpada

 ONDE USAR LÂMPADAS INCANDESCENTES
As lâmpadas incandescentes devem ser usadas preferencialmente em banheiros, em locais onde se acende e apaga a luz constantemente e em lugares onde se utiliza sensores de presença.

 Quando se usa lâmpada incandescente, DEVE-SE apagar a luz ao sair do ambiente. Desta forma, economiza-se energia.

lâmpada

 Em ambientes com lâmpadas econômicas, faz-se o inverso, ou seja, se o ambiente ficar sem a presença de pessoas por um período de tempo pequeno (até 30 minutos), o ideal é não apagar as luzes.

 Toda lâmpada econômica tem sua vida útil dimensionada para 8 acendimentos diários. Mais que isso, haverá perda significativa do tempo de duração da mesma, além de causar aumento no gasto de energia, pois ela leva um tempo mais longo para atingir sua luminosidade plena.

lâmpada


 

Este jovem emocionou todo um continente!!!
William Kamkwamba, um jovem do Malawi, com 14 anos de idade, em situação extrema de pobreza e de fome, conseguiu construir um moinho de vento para fornecer eletricidade para a sua casa. Oito anos mais tarde, explicou com as suas próprias palavras a emotiva história da invenção que lhe alterou totalmente a vida.
William vivia na extrema pobreza com fome e sem educação (porque se pagava os seus estudos só comia uma vez por dia), mas mesmo assim procurou estudar por conta própria. Estava determinado a fazer tudo o que pudesse para receber algum tipo de educação. Sempre que podia ia a uma pequeníssima biblioteca da sua localidade, lia livros de ciências, especialmente de física e mesmo não entendendo muitas vezes os idiomas de alguns livros, via os diagramas e as fotos para aprender as palavras ao redor delas.
Numa das visitas que fez à biblioteca encontrou um livro que dizia que um moinho de vento podia bombear água e gerar eletricidade. Depois de estudar um pouco ele aventurou-se a construir um moinho de vento. Mas, apesar da vontade, ele não tinha os materiais necessários, então procurou um armazém de sucata onde tentou desencantar todas as peças para realizar o seu sonho que muitas pessoas diziam ser de uma autêntica loucura, inclusive a sua própria mãe.
A sua invenção levou-o a viajar e a dar palestras de motivação em todo o mundo.
Estas são as palavras de William que merecem reflexão, “se você está a lutar pelos seus sonhos, confie em si mesmo. Não importa o que possa acontecer. Não se renda!”.

Recomendamos a visita a este site, que tem muitas dicas e informações para seu dia a dia:

http://www.fazfacil.com.br/reforma-construcao/calculo-instalacao-eletrica/


 

topo