Translate this Page

Rating: 3.6/5 (4731 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...



  

 

 

Creme dental Glister


 

VISITE NOSSO SITE:

Pixabay imagens gratuitas



SELEÇÃO BRASILEIRA: 1914 A 1934
SELEÇÃO BRASILEIRA: 1914 A 1934

1914–1938: A FORMAÇÃO E OS PRIMÓRDIOS.

A Seleção Brasileira foi formada pela primeira vez em 20 de agosto de 1914. Fez seu primeiro jogo contra o Exeter City da Inglaterra, no campo do Salvador, em 27 de julho daquele ano. Vitória para os brasileiros por 2 a 0, com o primeiro gol marcado por Oswaldo Gomes, do Fluminense. A equipe jogou ainda naquele ano em dois jogos contra a Seleção Argentina, sendo um amistoso em 20 de setembro e outro oficialmente, valendo a Copa Roca em 27 de setembro, competição que visava a aproximar mais estes dois países.O Brasil venceu por 1-0 em Buenos Aires (gol de Rubens Salles), consagrando-se campeão do torneio, sendo esse o primeiro de vários títulos conquistados pela seleção Canarinho. O primeiro título relevante conquistado pela Seleção Brasileira foi o Campeonato Sul Americano de 1919, atual Copa América, com Friedenreich marcando o gol do título sobre o Uruguai, no Estádio das Laranjeiras construído pelo Fluminense para esta ocasião, já que o governo brasileiro não tinha o dinheiro para financiar este evento internacional. Em 1922, o Fluminense ampliou o seu estádio e a Seleção Brasileira conquistou o segundo título relevante de sua história, o bicampeonato do Sul Americano de Seleções.

O Brasil é a única nação a ter se classificado para todas as edições da Copa do Mundo. Contudo, as participações iniciais do país estavam longe de serem bem sucedidas. Isso se deve à disputa interna do futebol brasileiro sobre o profissionalismo. Esse fato fez com que a Confederação Brasileira de Futebol fosse incapaz de convocar times com a força total. Em particular, disputas entre as federações estaduais de São Paulo e do Rio de Janeiro (as duas mais importantes da época) significavam que a seleção seria composta por jogadores vindos de apenas uma das federações.

COPA

Camisa oficial da seleção brasileira de 1930.

Tanto na Copa de 1930, quando Preguinho marcou o primeiro gol da história da Seleção Brasileira em Copas do Mundo, na estreia contra a Iugoslávia, em que o Brasil perdeu por 2 a 1, quanto na de 1934, o Brasil foi eliminado logo na primeira fase. Mas 1938 era um sinal do que viria, uma vez que o Brasil terminou em um bom terceiro lugar, com Leônidas da Silva fazendo história e terminando a copa como artilheiro e melhor jogador.

Após esta última até 1950, as edições da Copa do Mundo foram canceladas devido à Segunda Guerra Mundial.

 

COPA DO MUNDO DE 1930 - URUGUAI

Idealizada na fundação da FIFA em 1904, a Copa do Mundo só foi realizada após a reconstrução da Europa dos destroços da Primeira Guerra Mundial.
 Em 1929, o Uruguai, atual bicampeão olímpico, foi escolhido como país sede. Os europeus protestaram que a primeira Copa fosse fora de seu continente e boicotaram o evento, tornando praticamente um torneio pan-americano.
Dos atuais dez membros da Conmebol não participaram apenas Equador, Colômbia e Venezuela.
As copas sempre foram moldadas de acordo com os interesses dos países sede e das principais seleções. Nas primeiras oito Copas, os anfitriões chegaram a cinco finais e nas duas primeiras, a festa foi dos donos da casa.
Os uruguaios construíram o estádio Centenário para sediar a Copa e os cem anos de sua independência. Pão e circo consumados, o governo decretou feriado nacional após a conquista do título.
A rivalidade entre os países é uma das essências das Copas. Na primeira final, os argentinos e uruguaios polemizaram até com a bola (o primeiro tempo foi jogado com uma bola preferida pelos argentinos e o segundo pelos uruguaios).
Os uruguaios comemoraram o tri campeonato já na primeira edição. Eles consideram os triunfos nas Olimpíadas equivalentes a uma Copa. Por este motivo são bordadas quatro estrelas na atual camisa da celeste.

COPA

Poster da 1ª Copa do Mundo de Futebol da FIFA - Uruguai, 1930.

COPA DO MUNDO DE 1930 NO URUGUAI - SELEÇÕES.


América do Sul: (7 seleções): Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai, Peru e Uruguai.
Europa: (4 seleções): Bélgica, França, Iugoslávia e Romênia.
América do Norte, Central e Caribe: (2 seleções): Estados Unidos e México.Sede: Uruguai

Eliminatórias: Não houve
Sede: Uruguai
Campeão: Uruguai - 1º título
Jogos: 18
Gols: 70
Média de gols: 3,89
Público: 434.500
Média de público: 24.139
Artilheiro: Guillermo Stábile - Argentina - 8 gols.

 As 13 seleções foram divididas em quatro grupos. O Grupo A com quatro equipes e os demais com três equipes cada. Classificaram-se para as semi-finais apenas os primeiros de cada grupo. Não houve disputa de terceiro lugar, dividido entre os Estados Unidos e a Iugoslávia. Vitória valia dois pontos e empate um.

COPA

Seleção brasileira de 1930.

 

 

 

 

 

 

 

Primeira Fase
Grupo A - Classificação

Classificação - Pontos - J - V - E - D - GP - GS - SG
Argentina -         6 -       3 -3 -  0 -  0 - 10 -   4 -    6
Chile -               4 -       3  2 -   0 - 1 -  5 -    3 -    2
França -            2 -       3  1   - 0 - 2 -  4 -    3    - 1
México -           0 -       3 - 0 -  0 - 3 -  4 -   13 -   -9
Jogos do Grupo A
13.07.1930 França 4 x 1 México
15.07.1930 Argentina 1 x 0 França
16.07.1930 Chile 3 x 0 México
19.07.1930 Chile 1 x 0 França
19.07.1930 Argentina 6 x 3 México
22.07.1930 Argentina 3 x 1 Chile
Grupo B - Classificação
Classificação - Pontos - J - V - E - D - GP - GS - SG
Iugoslávia - 4 - 2 - 2 - 0 - 0 - 6 - 1 - 5
Brasil - 2 - 2 - 1 - 0 - 1 - 5 - 2 - 3
Bolívia - 0 - 2 - 0 - 0 - 2 - 0 - 8 - -8
Jogos do Grupo B
14.07.1930 Iugoslávia 2 x 1 Brasil
17.07.1930 Iugoslávia 4 x 0 Bolívia
20.07.1930 Brasil 4 x 0 Bolívia
Grupo C - Classificação
Classificação - Pontos - J - V - E - D - GP - GS - SG
Uruguai - 4 - 2 - 2 - 0 - 0 - 5 - 0 - 5
Romênia - 2 - 2 - 1 - 0 - 1 - 3 - 5 - -2
Peru - 0 - 2 - 0 - 0 - 2 - 1 - 4 - -3
Jogos do Grupo C
14.07.1930 Romênia 3 x 1 Peru
18.07.1930 Uruguai 1 x 0 Peru
21.07.1930 Uruguai 4 x 0 Romênia

Jogos do Grupo D
17.07.1930 - Estados Unidos 3 x 0 Paraguai
20.07.1930 - Paraguai 1 x 0 Bélgica
13.07.1930 - Estados Unidos 3 x 0 Bélgica
Semi-finais
26.07.1930 - Argentina 6 x 1 Estados Unidos
27.07.1930 - Uruguai 6 x 1 Iugoslávia
Final
30.07.1930 - Uruguai 4 x 2 Argentina
Ficha da Final
Uruguai 4 x 2 Argentina (1 x 2 - Primeiro Tempo)
Local: Estádio Centenário, Montevidéu
Árbitro: Jan Langenus (Bélgica)
Uruguai: Ballestero, Mascheroni, Nasazzi; Andrade, Fernández, Gestido; Dorado, Scarone, Castro, Cea e Iriarte Técnico: Alberto Suppici
Argentina: Botasso, Della Torre, Paternoster; J.Evaristo, Monti, Arico Suárez; Peucelle, Varallo, Stábile, Ferreira e M. Evaristo
Técnico: Francisco Olazar
Público: 80.000
Gols: Primeiro Tempo - Dorado (12 minutos) | Peucelle (20) e Stábile (38). Segundo Tempo - Cea (13) | Iriarte (23) | Castro (44).

O Brasil na Copa de 1930 no Uruguai: Eliminado na Primeira Fase - 6º lugar
2 jogos | 1 vitória e 1 derrota | 5 gols a favor e 2 gols sofridos | saldo de gols +3.

COPA

Entrada em campo da seleção uruguaia para a grande final da copa de 1930.

Artilheiros
8 gols - Guillermo Stábile - Argentina
5 gols - José Pédro Cea - Uruguai
4 gols - Bert Patenaude (Estados)
3 gols - Juan Pelegrino Anselmo - Uruguai | Ivan Bek - Iugoslávia | Carlos Desiderio Peucelle - Argentina | João Coelho Neto (Preguinho) - Brasil
2 gols - Héctor Castro - Uruguai | Pablo Dorado - Uruguai | Victoriano Santos Iriarte - Uruguai | André Maschinot - França | Bartholomew McGhee - Estados Unidos | Luís Fernando Monti - Argentina | Moderato Visintainer - Brasil | Manuel Rosas Sanchez - México | Constantin Stanciu - Romênia | Carlos Vidal Lepe - Chile | Djordje Vujadinovic - Iugoslávia | Adolfo Bernabé Zumelzú - Argentina
1 gol - Guillermo Arellano Moraga - Chile | Stefan Barbu - Romênia | James Brown - Estados Unidos | Delfín Benítez Cáceres - Paraguai | Juan Carreño Sandoval - México | Roberto Gayón Marquéz - México | Marino Evaristo - Argentina | Marcel Langiller - França | Lucien Laurent - França | Blagoje Marjanovic - Iugoslávia | Héctor Pedro Scarone - Uruguai | Alejandro Scopelli Casanova - Argentina | Luís Alfonso Souza Ferreira - Peru | Guillermo Subiabre Astorga - Chile | Aleksandar Tirnanic - Iugoslávia | Francisco Antonio Varallo - Argentina
Gol contra - Manuel Rosas Sánchez - México a favor do Chile

 

 A Copa do Mundo de 1934 na Itália

logo34A Copa do Mundo de 1934 foi a primeira a ser realizada na Europa. O país escolhido foi a Itália, do ditador Benito Mussolini, que desde 1929 já planejava organizar o Mundial para ganhar ainda mais poder e elevar o fascismo, que vigorava na época no país. O governante, percebendo a força que o esporte tinha, incumbiu o general Giorgio Vaccaro de conseguir levar a competição ao país. Antes mesmo de começar, o certame já ganhava ares políticos.
Diferentemente do que aconteceu na primeira edição, no Uruguai, os participantes do Mundial foram definidos em Eliminatórias. Foram 32 inscritos e, após disputas dentro dos continentes, classificaram-se 16 equipes. A própria Itália passou por essa fase para poder disputar o torneio. Países importantes como a Inglaterra e o Uruguai, então campeão do mundo, sequer inscreveram-se para a competição. Os sul-americanos agiram em protesto pelo fato de os europeus terem desprestigiado o torneio quatro anos antes.
O Brasil, mesmo com crises internas e uma briga entre a Confederação Brasileira de Desportos (CBD) e os clubes, que queriam criar a Federação Brasileira de Futebol, foi à Itália. A equipe contou com diversos jogadores do Botafogo e apenas quatro atletas de times paulistas. O principal nome da seleção era Leônidas da Silva, conhecido como Diamante Negro. Mas a ausência do zagueiro Domingos da Guia, o Divino Mestre, do Vasco, foi muito sentida.
A competição foi aberta no dia 27 de maio, com todas as partidas das oitavas-de-final sendo disputadas na mesma data.

seleção brasileira de 34

Seleção brasileira de 1934.

 Grupos e jogos

A Copa do Mundo de 1934 começou no dia 27 de maio e teve oito sedes: Bolonha, Florença, Gênova, Milão, Turim, Roma, Nápoles e Trieste. Ao contrário do Mundial do Uruguai, onde prevaleceram as equipes sul-americanas, a competição na Itália foi quase totalmente europeia, pois das 16 participantes, apenas quatro não eram da Europa: Brasil, Argentina, Egito e Estados Unidos.
A fórmula de disputa foi modificada em relação à do Mundial anterior. As equipes jogaram entre si em partidas eliminatórias, com o vencedor avançando até chegar à decisão. O perdedor era sumariamente eliminado.

tabela34

                                 Tabela da copa do mundo de 1934.
Os italianos estrearam arrasando os Estados Unidos por 7 a 1, para alegria de Mussolini e da nação. Essa foi a maior goleada já aplicada em uma partida de abertura de Copa do Mundo. A Tchecoslováquia venceu a Romênia por 2 a 1, graças ao goleiro Planikca, um dos grandes destaques da Copa, enquanto a Alemanha bateu a Bélgica por 5 a 2. Já a Áustria, na melhor partida da primeira fase, suou para ganhar da França por 3 a 2 na prorrogação, depois de um empate por 1 a 1 no tempo normal.
O sonho brasileiro acabou logo no primeiro jogo. O Brasil pegou a Espanha, em Gênova, e não resistiu a Langara, que com dois gols foi o destaque espanhol no triunfo por 3 a 1. O tento nacional, que na época utilizava um uniforme branco, foi marcado por Leônidas da Silva, que começou a encantar o mundo com seus lances mágicos.

uniforme

Uniforme da seleção brasileira na copa de 1934.
Também se classificaram para a fase seguinte a Suíça, que bateu a Holanda por 3 a 2, a Suécia, que derrotou a Argentina também por 3 a 2, e a Hungria, que passou pelo Egito por 4 a 2.
 Nas quartas-de-final sobraram apenas seleções européias. A Áustria sofreu para derrotar a Hungria, em Bolonha, por 2 a 1, em um jogo tumultuado. O chamado “Ferrolho Suíço” não suportou a Tchecoslováquia, do artilheiro Nejedly, e apesar de dar trabalho foi eliminado depois de perder por 3 a 2. A Alemanha também seguiu em frente e venceu por 2 a 1 a Suécia, com dois gols de Hohmann.
Para os donos da casa sobrou enfrentar a Espanha, que havia eliminado o Brasil. Em 31 de maio, em Florença, a Itália, de Guiseppe Meazza e Anfilogino Guarisi, o brasileiro Filó, ficou no empate por 1 a 1, após sair perdendo.
Como ainda não havia sido implementado o sistema de cobranças de pênaltis, um segundo jogo foi necessário para decidir o vencedor. Então, as duas equipes voltaram a campo no dia seguinte, também em Florença, para a decisão. Castigadas pelo calor do dia anterior e por muitas contusões, as seleções jogaram praticamente com times reservas. Do lado espanhol sete titulares, incluindo o goleiro e capitão Zamora, ficaram de fora. Na escalação italiana, cinco atletas não puderam atuar.

seleção italiana

                     Seleção italiana, campeã de 1934.
O jogo entrou para a história das Copas e foi um dos melhores já disputados até hoje. “A Batalha de Florença” jamais saiu da memória de quem a acompanhou. Os italianos contaram com a estrela de Meazza, que marcou o gol da vitória aos 11 minutos da primeira etapa. A Espanha, por sua vez, lutou muito, mas não conseguiu o empate, acabando eliminada de cabeça erguida.
Na semifinal, mesmo com a condição física e o cansaço jogando contra os italianos, vitória sobre a forte Áustria, com outro gol de Guiseppe Meazza. Na outra partida da fase, a Tchecoslováquia bateu a Alemanha por 3 a 1 e também chegou à grande decisão.
A festa estava armada no estádio Nacional do Partido Fascista, em Roma, no dia 10 de junho. Mussolini e todo o ministério italiano estavam presentes para celebrar o título da Itália, que colocaria não apenas o futebol, mas toda a nação, inclusive o fascismo, em evidência.
Contudo, os tchecos começaram melhor e saíram na frente aos 25 minutos do segundo tempo com Puc, silenciando a torcida. Mas a dez minutos do fim, Orsi soltou a bomba e deixou tudo igual, para delírio das 70 mil pessoas presentes no estádio. A partida foi para a prorrogação. Nem mesmo a lesão de Guiseppe Meazza abalou a Azzurra, que marcou o gol do título aos cinco minutos, com Schiavio.

Tchecoslováquia

A seleção da Tchecoslováquia, vice campeã da copa de 1934.
A Itália vencia com autoridade a Copa do Mundo que organizou. Participou do feito Anfilogino Guarisi, o Filó, natural de São Paulo e que defendia, na época, a Lazio, equipe de Roma. No torneio que bateu recorde de arrecadação e público, o terceiro lugar ficou com a Alemanha, que venceu a Áustria por 3 a 2. O ambiente político criado foi o maior ponto negativo da edição, assim como o excesso de violência visto em campo, que resultou em diversas expulsões e lesões.

A seleção campeã e o artilheiro de 1934

A Itália estreou em Mundiais na Copa de 1934 e, logo de cara, conquistou o primeiro título dos quatro que detém. A delegação italiana que disputou o Mundial contou com Giampiero Combi, Eraldo Monzeglio, Luigi Allemandi, Attilio Ferraris IV, Luiz Monti, Luigi Bertolini, Enrique Guaita, Guiseppe Meazza, Ângelo Schiavio, Giovanni Ferrari, Raimundo Orsi, Felice Plácido Borel II, Armando Castelazzi, Attilio Demaria, Anfilogino Guarisi (Filó), Mario Pizziolo e Virginio Rosetta. O técnico era Vittoria Pozzo, que seria bicampeão com o país quatro anos mais tarde, na França.
O técnico da “Azzurra” utilizou o esquema batizado de Pirâmide para triunfar. O treinador contava com Combi no gol, cinco atletas na defesa, sendo dois zagueiros bem recuados – Monzeglio e Allemandi – e mais três meias defensivos (atualmente nomeados volantes), Ferraris IV, Monti e Bertolini. Do meio-de-campo para a frente mais cinco jogadores. Guaita e Meazza no centro, armando as jogadas para os pontas Schiavio e Ferrari, que serviam um único atacante fixo, na oportunidade Orsi.
A Copa de 1934 não teve apenas um artilheiro, mas três. Conen, da Alemanha, Schiavio, da Itália, e Nejedly, da Tchecoslováquia, dividiram o prêmio de maior goleador do certame ao balançarem as redes quatro vezes cada um.

Pozzo e Meazza

O técnico italiano Vitorio Pozzo e o craque da seleção italiana Giuzeeppe Meazza.
Apesar de ser um dos artilheiro da competição, um fato curioso marcou Schiavio. Além de marcar o gol do título italiano, o jogador anotou em apenas mais uma partida. Foi na estreia contra os Estados Unidos, quando marcou três vezes.
O mesmo aconteceu com Conen, que fez três gols na partida de estreia, contra a Bélgica e depois marcou apenas mais uma vez, no jogo que decidiu o terceiro lugar, contra a Áustria.
Já Nejedly foi às redes em três confrontos, ajudando sua equipe a vencer esses jogos. O tcheco fez um contra a Romênia, outro no jogo diante da Suíça e dois na semifinal contra a Alemanha.

  Fonte: http://esporte.hsw.uol.com.br/copa-19342.htm

  Curiosidades sobre a copa de 1934

  Bola de 1930 - "Federale 102"
bola oficialNa Copa do Mundo da Itália, em 1934, foi usado um total de 12 bolas. Estas foram adquiridas na Argentina, devido ao sistema Superball de invenção, que eliminou o problema do chute que tinha todas as bolas neste momento. Os organizadores compraram na "Tossolini, Valbonesi, Polo & Cia" (uma empresa argentina). Esta patentes também se refletiram na década de 1950 nas bolas da Copa do Mundo no Brasil, onde as bolas eram da marca Superball.

A diferença foi o cordão de couro que fechou a bola como se fosse um sapato. Superball foi a primeira bola que teve uma "boca invisível", que em 11 de março de 1931, começou a rolar na Argentina e em todo o mundo. A magnitude da invenção é explicada com as imagens muitas vezes visto em fotografias antigas de futebol. Nos anos 20, os jogadores usavam boinas, e não era moda ou vaidade, mas uma defesa prudente. Toda vez que alguém cabeceava, abria uma ferida na testa, porque, com o sol e umidade, o toque da bola ficava afiada como uma faca.
Depois de muitos testes e experiências para resolver estes problemas, Luis Polo, e Juan Antonio Tossolini Valbonesi, criaram na cidade de Bell Ville, no sudeste da Província de Córdoba (Argentina), a nova bola com costura invisível que originalmente foi chamada de "Superball".


  A Copa da política

Sob o domínio do Partido Fascista, a Itália aproveitava cada espaço para fazer propaganda das suas idéias. Assim, o cartaz da Copa mostrava um jogador com o braço erguido, na saudação característica dos fascistas. Temerosa da reação em outros países, a FIFA conseguiu que os italianos criassem outro cartaz, com a imagem mais neutra, que acabou entrando para a história com a derrota do movimento fascista na Segunda Guerra Mundial.

mussolini2A Copa do Mundo de 1934 foi um reflexo do momento político que o mundo estava passando. A competição foi organizada pela Itália e foi um alvo de Mussolini para mostrar a força de sua nação e do fascismo. O "Duce" seguiu um planejamento feito pelos italianos desde o ano de 1929 e conseguiu trazer a competição para o país depois de oito congressos da Fifa. O líder político comparecia aos estádios e recebia as homenagens do público no mesmo tom que os astros do futebol.
O torneio foi dominados pelas seleções européias, que tinham 12 representantes. Todos os times das quartas-de-final eram da Europa. Brasil, Egito, Estados Unidos e Argentina não conseguiram montar times competitivos e saíram da Itália sem nenhuma vitória. O Uruguai resolveu não participar da Copa. Os atuais campeões ficaram irritados com a falta de apoio das seleções européias no Mundial de 1930. A Celeste Olímpica já não tinha a mesma força dos títulos olímpicos (1924 e 1928) e da conquista da Copa do Mundo de 1930.

Fonte: http://reliquiasdofutebol.blogspot.com.br/2010_02_21_archive.html

Outros fatos interessantes sobre a copa de 1934:

Atualmente chamado de Renato Dall’Ara, o estádio que na época tinha o nome de Littoriale, fica localizado na cidade de Bologna e foi construído em 1927. Em 1934, o estádio acomodava 38 mil espectadores, sendo que, hoje, sua capacidade é para 39.444 espectadores. Este estádio pertence ao clube de futebol do Bologna.

 litoralle


Atualmente chamado de Artemio Franchi, o estádio que na época se chamava Giovanni Berta, fica localizado na cidade de Florença e foi construído em 1931. Em 1934 o estádio tinha capacidade para receber 40 mil espectadores, sendo que, hoje, sua capacidade é para 47.300 espectadores. Esta é a casa do clube de futebol da Fiorentina.

 giovanni


Atualmente com o nome de Luigi Ferraris, o estádio Marassi (chamado assim na época), fica localizado na cidade de Gênova e foi inaugurado em 1911. Em 1934, a sua capacidade era para 34 mil espectadores. Hoje o estádio tem lugar para 36.536 espectadores. Esta é a casa do clube de futebol do Sampdoria.

 marassi


Conhecido como a casa do Milan (San Siro) e também da Internazzionale de Milão, porém, com outro nome quando a Inter é a mandante (Giuseppe Meazza), o estádio Calcistico San Ciro foi inaugurado em 1926 e fica localizado na cidade de Milão. Em 1934 sua capacidade era para 35 mil espectadores. Atualmente, o estádio aumentou esta capacidade para 82.955 espectadores.

 san ciro


Inaugurado em 1934, o estádio Giorgio Ascarelli ficava localizado na cidade de Nápoles e tinha capacidade para 40 mil espectadores. Foi destruído durante a Segunda Guerra Mundial.

 ascarelli


Inaugurado em 1927, o estádio Nazionale PNF (Partido Nacional Fascista) ficava localizado na cidade de Roma e tinha capacidade para acomodar 47.300 espectadores. Foi demolido em 1953.

 pnf


Construído em 1932, o estádio Littorio ficava localizado na cidade de Trieste e tinha capacidade para 15 mil espectadores. Danificado pela Segunda Guerra Mundial, acabou sendo demolido em 1958.

 litorio


Atualmente chamado de Stadio Olímpico de Turim, o estádio Benito Mussolini fica localizado na cidade de Turim. Na época, o estádio tinha capacidade para acomodar 40 mil espectadores e teve este número reduzido atualmente para 27.128. Esta é a casa do clube de futebol do Torino.

 mussolini


No dia 12 de maio, os 17 jogadores convocados para a Copa, embarcaram para a Itália no navio Biancamano (foto abaixo).

A Seleção Brasileira demorou 15 dias para chegar à França, palco da Copa de 1938. A viagem foi feita no navio Arlanza. Os jogadores engordaram, apesar dos exercícios físicos no convés. Romeu, o que tinha mais tendência a engordar, saiu do Brasil com 70 quilos e desembarcou na França com 79.

No dia 23 de maio, a seleção brasileira, após chegar de viagem, realizou apenas um treinamento antes da estreia.

 biancamono

 

biancamono2

Brasileiros se exercitando no navio Biancamono, durante a viagem para a disputa da copa de 1934


Abaixo, vamos conferir quem foram os 17 jogadores convocados do Brasil para a Copa do Mundo e seus respectivos clubes pelos quais atuavam.

Goleiros: Roberto Gomes Pedrosa (Botafogo) e Germano (Botafogo).

Zagueiros: Sylvio Hoffman (São Paulo da Floresta), Luiz Luz (Grêmio) e Octacílio (Botafogo).

Meio-campistas: Tinoco (Vasco), Martin (Botafogo), Canalli (Botafogo), Ariel (Botafogo) e Waldir (Botafogo).

Atacantes: Luizinho (São Paulo da Floresta), Waldemar de Brito (São Paulo da Floresta), Armandinho (São Paulo da Floresta), Leônidas da Silva (Vasco), Patesko (Nacional do Uruguai), Carvalho Leite (Botafogo) e Átila (Vasco).


O jogador da Suíça, Leopold Kielholz, foi o primeiro jogador da história a usar óculos de grau em uma partida de futebol. O atacante foi o autor de dois gols na vitória sobre a Holanda pelo placar de 3 a 2.

leopold


A seleção italiana, sempre que entrava em campo, fazia o gesto de cumprimento do governo fascista de Benito Mussolini. Como na foto abaixo, nem os juízes da final escaparam de terem que fazer este cumprimento antes do início do jogo.

 saudação

Fonte: http://www.travinha.com.br/eventos-desportivos/149-copa-do-mundo-de-futebol/183-copa-do-mundo-1934-italia

 

 

topo